Clima Futuro: Como exatamente o clima mudará?

18 minute read

Atualizado em

No último capítulo, vimos como as alterações climáticas estão tornando o nosso planeta mais quente. Mas quais são, em sua opinião, os efeitos em cadeia que estão previstos para acontecer devido ao aquecimento global?


Tudo isso acontecerá em um planeta mais quente. Há, ainda, o risco de ultrapassarmos os tipping points climáticos — aqui chamados de pontos de inflexão.

Temos muito para ver! Então, vamos começar com as mudanças na chuva.

Como as chuvas mudarão no futuro?

Aumento da chuva com o aquecimento global

A "intensidade da chuva", ou seja, a quantidade de chuva que cai em um dado momento e local, irá aumentar. Na verdade, evidências sugerem que, para cada 1 °C de aquecimento global, eventos de chuvas fortes, ao invés de garoas, podem ocorrer com uma frequência de 5 a 10% mais elevada. Portanto, uma maior área da Terra estará sob o risco de inundação.

Mas alguns lugares não irão ficar mais secos? Com certeza! Previsões mostram que as mudanças na pluviosidade serão desiguais. Por isso, algumas regiões ficarão mais úmidas; outras, mais secas; e algumas praticamente não mudarão.

Em parte, isso acontecerá porque algumas porções da atmosfera aquecerão mais do que outras e poderão, assim, reter mais água.

Haverá também mudanças no fluxo de ar na atmosfera, o que irá alterar a forma como a água é distribuída pelo globo.

De modo geral, regiões terrestres longe do equador ficarão mais úmidas, enquanto as mais próximas se tornarão mais secas se já forem secas, e mais úmidas se já forem úmidas!

Mais secas e mais úmidas

Isso significa que, em algumas regiões, haverá menos chuva, o que fará com que secas sejam mais prováveis de acontecer. Além disso, num mundo mais quente, é provável que a severidade das secas aumente.

Se o aquecimento global ultrapassar os 2 °C, prevê-se que ocorram mais secas no Mediterrâneo, no sudoeste dos EUA e nas regiões do sul da África.

Isso pode afetar seriamente a capacidade de todas as pessoas terem acesso a uma quantidade suficiente de alimentos seguros e nutritivos, pois se o solo seca, o crescimento dos cultivos se torna mais difícil.

Secas colocam em risco a segurança alimentar

Como o aquecimento global causa o aumento do nível do mar?

Nos últimos milhares de anos, o nível do mar tem se mantido estável. No entanto, desde 1901, a média global do nível do mar aumentou em 19 centímetros.

O que você acha que causa o aumento do nível do mar?:


Causas do aumento do nível do mar

Essas enormes áreas de gelo que repousam em terra são chamadas de mantos de gelo. Há dois mantos de gelo no mundo, um na Groenlândia e um na Antártica.

Nas últimas décadas, o aquecimento global fez com que partes dos mantos de gelo derretessem e encolhessem. Portanto, a água antes armazenada em terra, agora se espalha no oceano.

Por outro lado, o derretimento de icebergs não contribui muito para o aumento do nível do mar, porque a água extra simplesmente substitui o gelo no espaço que ele preenchia antes.

Desde 2006, o derretimento dos mantos de gelo tem causado um aumento do nível do mar de 1,8 milímetros por ano. Trata-se de uma contribuição ainda maior do que a expansão, que provocou um aumento de 1,4 milímetros por ano no mesmo período.

Como o nível do mar mudará no futuro?

Você pode ver uma gama de possíveis previsões para o aumento do nível do mar no gráfico abaixo.

Previsões para o aumento do nível do mar

Até 2100, se não houver nenhuma mudança nas políticas climáticas, prevê-se que o nível do mar aumente em 15 milímetros por ano, e em muitos centímetros por ano em 2200!

Para piorar a situação, se os mantos de gelo da Groenlândia e da Antártica perderem muito gelo, eles ultrapassarão um ponto de inflexão, que pode eventualmente levar ao aumento de mais de 7 metros do nível do mar!

Mas calma, vamos voltar um pouco.

O que é um Ponto de Inflexão e por que eles são tão importantes?

Imagine que você está levando uma bola morro acima. Enquanto você anda, se a bola for empurrada para cima, ela vai simplesmente retornar para suas mãos.

No entanto, quando você rolar a bola sobre o pico do morro, ela continuará rolando para longe e você a perderá. Aqui, o topo do morro é o ponto de inflexão. Nesse ponto, se você empurrar a bola, mesmo que só um pouquinho, ela rolará para longe de você sem parar!

Ponto de Inflexão da bola no morro

Normalmente, os sistemas da nossa Terra se comportam de forma semelhante a uma bola ao pé do morro – se dermos um pequeno empurrão, eles acabam retornando ao seu estado natural. No entanto, se fizermos com que o nosso sistema terrestre mude muito, aumentando a temperatura, por exemplo, a bola se move para o topo do morro, onde qualquer pequeno empurrão adicional causará uma mudança enorme e irreversível. Isso se chama "ponto de inflexão".

Ultrapassar um ponto de inflexão é irreversível porque você não pode retornar ao estado original desfazendo a pequena mudança. A pequena mudança adicional desencadeia uma transformação do sistema, que pode ser imediata, ou adiada por anos no futuro.

O que faria com que os mantos de gelo da Groenlândia e da Antártica cruzassem um ponto de inflexão?

Os mantos de gelo da Groenlândia e da Antártica ultrapassarão um ponto de inflexão quando a área de gelo perdida se tornar tão grande que será impossível impedir que o resto do manto de gelo se derreta também.

O manto de gelo da Groenlândia está indo em direção a esse ponto porque, à medida que derrete, ele se move para áreas mais baixas. Como o ar é mais quente em um local mais baixo, a taxa de derretimento aumenta.

Resposta ao derretimento dos mantos de gelo

Se os mantos de gelo da Groenlândia e da Antártica ocidental ultrapassarem os seus pontos de inflexão, podemos esperar muitos metros de subida do nível do mar nos próximos séculos.

Quando a Groenlândia e a Antártica irão ultrapassar esse ponto de inflexão?

Geralmente, há pouco consenso sobre a possibilidade de algum ponto de inflexão ser ultrapassado antes de 2100 devido à falta de dados e à dificuldade que os modelos climáticos enfrentam ao representar esses processos.

Como você acha que devemos melhorar as previsões?


Embora os melhores modelos climáticos hoje em dia possam considerar muitas mudanças bruscas no clima, alguns processos ainda não são explicados.

Portanto, enquanto alguns cientistas argumentam que a temperatura média global da superfície teria que aumentar em pelo menos 2 °C, outros dizem que 1,5 °C é suficiente para fazer com que os mantos de gelo ultrapassem um ponto de inflexão – é provável que isso aconteça antes de 2030! Na verdade, alguns acreditam que já ultrapassamos os pontos de inflexão dos mantos de gelo e, se ainda não, estamos "perigosamente perto".

Ficará tudo bem se não cruzarmos esses pontos de inflexão?

Mesmo que o aquecimento global se limite a 1,5° C e que não se ultrapasse os pontos de inflexão, o aumento do nível do mar continuará. Na verdade, mesmo se a quantidade de gases de efeito estufa em nossa atmosfera permanecesse constante a partir de agora, os níveis do mar continuariam a aumentar por centenas, ou mesmo milhares de anos.

Isso se deve ao aquecimento tardio – a água do mar precisa de muito mais energia e tempo para se aquecer do que a terra ou a atmosfera.

Aquecimento tardio do oceano

Conclusão

O aumento do nível do mar, as inundações e as secas representarão um enorme risco para a saúde humana, para o abastecimento alimentar, para as edificações, para os transportes e para a vida selvagem.

Além disso, os principais cientistas que estudam os pontos de inflexão disseram que devemos procurar manter o aquecimento global bem abaixo de 2 °C para evitar ultrapassar quaisquer pontos de inflexão. (Lembre-se, já aquecemos nosso planeta em 1,1 °C!)

Portanto, é vital que desaceleremos o aquecimento global o máximo possível.

Próximo Capítulo