Mulheres e as mudanças climáticas: Resolvendo as mudanças climáticas e empoderando as mulheres

26 minute read

Atualizado em

Todos nós vemos o mundo de maneiras diferentes. Por isso, a fim de resolver as mudanças climáticas, precisamos considerar todos os pontos de vista. Empoderar mulheres é fundamental para construir um futuro melhor, social e ambientalmente.

Existem muitas maneiras através das quais as mulheres podem ajudar no combate à crise climática, mas não temos tempo para abordar todas elas aqui. Neste capítulo, vamos analisar apenas três formas que a igualdade de gênero pode ajudar a resolver as mudanças climáticas: melhorar o acesso e a igualdade na agricultura, no planejamento familiar e na liderança climática.

Mulheres agricultoras no mundo em desenvolvimento

No mundo em desenvolvimento, as terras cultivadas por mulheres produzem de 20 a 30% menos do que as cultivadas por homens. Por que existe essa "disparidade de gênero em cultivos"?

A resposta é clara: as habilidades femininas na agricultura são tão boas quanto as masculinas, mas elas encontram dificuldades no acesso igualitário a oportunidades e recursos, deixando-as em desvantagem.

Oportunidades para mulheres versus para homens

Em países em desenvolvimento, 43% do trabalho agrícola é realizado por mulheres. Dessa forma, com quase metade dos agricultores sofrendo com baixa produtividade, a desigualdade de gênero é uma ameaça real para a segurança alimentar global.

Por que a baixa produtividade agrícola é ruim para as mudanças climáticas?


Ao aumentar a produtividade feminina na agricultura, mais alimentos podem ser produzidos em terras agrícolas já existentes, o que significa que menos florestas precisariam ser desmatadas para dar lugar a campos de cultivo adicionais.

Além disso, aumentar a produtividade agrícola feminina poderia resultar em uma redução de 100 a 150 milhões do número de pessoas famintas e melhorar a qualidade de vida das crianças em uma escala global.

Possuindo e controlando terras

Garantir o acesso às terras é um requerimento básico para a agricultura. No entanto, as leis de posse geralmente favorecem aos homens. Isso faz com que os direitos das mulheres às propriedades sejam dependentes de seus parentes masculinos. Ao redor do mundo desenvolvido, é menos provável que mulheres possuam e controlem terras do que homens, e as áreas que elas têm são geralmente menores e menos férteis.

Terrinha trabalhando com um chapéu de palha

Pior ainda, isso faz com que os bancos fiquem mais hesitantes em conceder empréstimos às mulheres, deixando-as incapazes de adquirir tecnologias agrícolas que poderiam aumentar sua produtividade.

Na África subsariana, as mulheres são responsáveis por 48,7% do trabalho agrícola. Qual porcentagem de proprietários de terra você acha que são mulheres?


Porcentagem de terras pertencentes às mulheres

Com a propriedade de terras, agricultores têm certeza de que irão usufruir dos benefícios futuros de uma boa administração. Isso os torna mais propensos a investir em práticas de agricultura sustentável que aumentam a produtividade e evitam o desmatamento insustentável.

Ganhando tempo para as mulheres

As áreas agrícolas de mulheres são menos produtivas do que as de homens porque seus outros deveres limitam a quantidade de tempo que elas podem dedicar à agricultura.

Além da agricultura, as mulheres são tradicionalmente responsáveis por deveres domésticos, como cuidar de crianças e idosos, manter a casa e cozinhar.

Deveres de cuidados não remunerados de mulheres

Em Gana, quantas horas uma mulher gasta diariamente realizando trabalhos domésticos não remunerados?


Esse número é, surpreendentemente, dez vezes maior que o dos homens, que gastam apenas uma média de 35 minutos por dia em trabalhos não remunerados. Na verdade, esse é um padrão que pode ser observado no mundo todo, tanto em países ricos quanto pobres.

Mundialmente, as mulheres se dedicam, em média, 2,5 vezes mais aos trabalhos não remunerados do que os homens.

Trabalhos domésticos não remunerados são totalmente essenciais para manter as famílias felizes e saudáveis, mas são frequentemente negligenciados e muito mais demorados do que precisam ser.

Tarefas de captação de água para mulheres e crianças

Soluções simples, como construir poços em locais próximos, podem trazer mais tempo para as mulheres. Isso poderia ajudar a reduzir a disparidade de gênero na produção agrícola, já que permitiria que as mulheres passassem mais tempo na agricultura, caso desejassem.

Uma outra forma de aumentar a produtividade feminina na agricultura é ajudá-las a se tornarem agricultoras mais eficientes.

Como poderíamos fazer isso?


Tarefas que são usualmente feitas por homens, como arar os campos, tendem a usar trabalho animal para serem mais eficientes. Em contrapartida, tarefas que são geralmente realizadas por mulheres, como a capinação e a colheita, não costumam ser mecanizadas, mas sim, feitas através do uso de ferramentas manuais tradicionais e demandam muito tempo.

Na Índia, as mulheres normalmente arrancam as ervas daninhas dos campos de soja usando ferramentas manuais tradicionais, inclinando-se ou agachando. Esse processo é lento, desconfortável e pode causar lesões.

Observe:

Capinando campos de soja com ferramentas manuais

Ferramentas melhores reduzem o peso do trabalho nas mulheres e aumentam sua eficiência.

Esta é a "enxada de duas rodas" aperfeiçoada, que é utilizada para capinar os campos de soja em pé:

Capinando com a enxada de duas rodas

Essa ferramenta reduz pela metade o tempo despendido com a capinação e diminui muito o esforço físico.

Garantir que as mulheres tenham direitos sólidos às terras, assim como acesso às instalações e ferramentas para gerenciar seu tempo de forma eficaz, não apenas lhes oferece mais oportunidades, como também aumenta os rendimentos em terras agrícolas existentes – o que também é bom para o planeta.

Planejamento familiar

Planejamento familiar

Planejamento familiar significa permitir que as mulheres escolham se elas querem ter filhos, quantos serão e quando isso acontecerá. Isso é feito através do uso de métodos contraceptivos modernos.

Em 2019, no mundo todo, 24% das mulheres que queriam fazer uso do planejamento familiar não tinham acesso aos métodos contraceptivos necessários.

Como resultado, a taxa de gravidez indesejada entre essas mulheres é alta.

Essa situação é pior nos países em desenvolvimento: 225 milhões de mulheres em países de baixa renda afirmaram que elas querem escolher quando e se ficarão grávidas, mas isso não é possível porque elas não têm acesso aos métodos contraceptivos.

Porcentagem de mulheres que utilizam métodos contraceptivos modernos

A solução é garantir que todas as mulheres tenham igual acesso aos métodos contraceptivos.

Em primeiro lugar, o planejamento familiar e o uso de contraceptivos dão, às mulheres, o poder sobre suas vidas e seus corpos. Com o controle sobre sua saúde reprodutiva, mulheres jovens têm mais chances de terminar seus estudos e construir uma base para seu futuro. Mulheres também podem planejar a gravidez considerando suas carreiras e vidas pessoais, o que possibilita que elas escolham e sigam suas ambições.

Métodos contraceptivos permitem que as mulheres planejem suas vidas

Em segundo lugar, através da emancipação feminina, o fornecimento de serviços de planejamento familiar também beneficia o meio-ambiente.

Com a popularização dos métodos contraceptivos, as mulheres tendem a ter menos filhos, o que pode reduzir as emissões globais.

Taxa de fertilidade versus Prevalência da contracepção

Como os contraceptivos podem reduzir as emissões globais?


Aumentar o planejamento familiar reduziria o crescimento populacional ao prevenir nascimentos não planejados, que podem ter acontecido sem contracepção.

Na verdade, o planejamento familiar tem um potencial enorme de reduzir as emissões globais previstas, especialmente quando combinado à promoção do acesso à educação para as meninas (dê uma olhada no capítulo sobre educação).

Juntos, o planejamento familiar e o acesso à educação para meninas poderiam reduzir as emissões globais em 85,4 Gt CO₂ até 2050.

Isso é mais do que 1,5 vezes do total de emissões produzidas em 2018! Ao retardar o crescimento populacional, o planejamento familiar e a educação poderiam fornecer uma redução de 16 a 29% nas emissões necessárias para evitar o aquecimento global acima de 2 °C.

Adicionar a tecnologia de captura de carbono às usinas de energia existentes reduz as emissões a um custo de US$ 70 por tonelada de CO₂e que, como resultado, não é emitido. Como você acha que o custo do planejamento familiar se compara a esse número?


Surpreendentemente, o planejamento familiar reduz as emissões a um custo de apenas US$ 4,50 por tonelada de CO₂e, que não é emitido devido à consequente redução do crescimento populacional!

Mulheres como líderes climáticos

Mundialmente, o poder não é compartilhado igualmente entre os gêneros. Em outubro de 2019, apenas 24,5% dos políticos de todos os países eram mulheres. Ainda que a disparidade de gênero na política seja encontrada no mundo todo, ela é particularmente maior na Africa subsariana, no sul da Ásia e nos países árabes.

Nos níveis mais altos de poder político, existe uma disparidade de gênero ainda maior. Dos 195 países do mundo, quantos têm uma mulher como Chefe de Estado ou de Governo (maio de 2020)?


Por que essa disparidade de gênero existe? Porque as mulheres enfrentam inúmeras barreiras na inclusão política.

As mulheres enfrentam muitas barreiras na inclusão política.

Então, por que isso é importante para as alterações climáticas?

As mulheres compõem a maioria da população mundial mais pobre e vulnerável, o que significa que elas são, de forma geral, as pessoas mais severamente impactadas pelas mudanças climáticas.

Se as mulheres não forem incluídas nas tomadas de decisões sobre o clima, suas necessidades não serão supridas e as igualdades já existentes se agravarão.

No entanto, inclui-las nas decisões políticas não é apenas a coisa certa a se fazer, mas também a escolha mais inteligente para as pessoas e para o meio ambiente.

Os diferentes gêneros vivenciam o mundo de formas diferentes e têm necessidades distintas, mas também possuem conhecimentos variados. Especialmente no mundo desenvolvido, as funções femininas tradicionais garantem um entendimento único no que diz respeito à conservação ambiental. A fim de combater as mudanças climáticas, precisamos utilizar os conhecimentos e as habilidades tanto de homens quanto de mulheres!

Além disso, as mulheres tendem a ter opiniões e perspectivas diferentes dos homens, o que pode ajudar a criar políticas equilibradas. Ao tomar decisões, elas costumam considerar suas famílias e suas comunidades, além delas mesmas. Ademais, as mulheres tendem a evitar tomar riscos e demonstram uma grande preocupação para com o meio ambiente.

Então, é provável que a inclusão de mulheres nas tomadas de decisões e na liderança já esteja ajudando o meio ambiente? Percebe-se um padrão em que a igualdade para mulheres líderes tende a resultar em melhores ações climáticas. Temos aqui alguns exemplos:

Mulheres nas tomadas de decisões e na liderança ajudam o meio ambiente!

Outros fatores também poderiam afetar essas tendências, já que líderes de qualquer gênero podem tomar boas ou más decisões. De qualquer forma, uma liderança com maior diversidade geralmente traz melhores resultados. Empoderar mulheres a se tornarem tomadoras de decisão e líderes internacionais poderia reduzir a desigualdade e ajudar a combater as mudanças climáticas.

Conclusão

Através do empoderamento feminino, podemos construir o futuro que queremos para a humanidade. Nele, pessoas de todos os gêneros têm o poder de fazer escolhas e acessar os recursos que elas precisam para viver de maneira saudável, sustentável e satisfatória.

Além do mais, ao alcançar esse mundo, poderemos até parar as mudanças climáticas.

Próximo Capítulo