O poder da escola: Melhorar vidas e mudanças climáticas

15 minute read

Atualizado em

A educação pode diminuir a pobreza, ajudar a frear as mudanças climáticas e melhorar condições de vida ao mesmo tempo! Uma educação de qualidade para todos é, por si só, um Objetivo de Desenvolvimento Sustentável: vamos observar o porquê.

Educação e pobreza

A pobreza é mais comum em países com sistemas educacionais precariamente desenvolvidos.

Falta de educação como uma armadilha da pobreza

Em muitas partes do mundo, é difícil para crianças de famílias mais pobres terem acesso à educação. Isso limita suas perspectivas de emprego no futuro, o que significa que elas terão mais chances de continuarem pobres e de não serem capazes de enviar seus filhos para a escola. E assim o ciclo continua: a falta de acesso à educação aprisiona as pessoas na pobreza.

Por outro lado, o acesso à educação pode ajudar as pessoas a escaparem da pobreza: indivíduos com um melhor nível de escolaridade conseguem ter acesso a empregos melhor remunerados.

Na África Subsaariana, onde vivem mais da metade das pessoas mais pobres do mundo, cada ano extra de escolarização faz uma grande diferença na perspectiva de salário dos indivíduos.

Em quanto você acha que os salários por hora aumentam, em média, a cada ano adicional de escolaridade?


Através do aumento da renda, a educação ajuda as pessoas e suas famílias a escaparem da pobreza.

Educar meninas

O acesso à educação empodera as pessoas. Ao compreendermos o mundo ao nosso redor, temos mais controle sobre as nossas vidas. Assegurar que todas as crianças tenham acesso a um ensino de alta qualidade é um objetivo importante mas, muitas vezes, as meninas têm sido esquecidas.

Na África Subsaariana, as mulheres têm, em média, 18% menos anos de estudo do que os homens.

Observe este mapa. Ele mostra o número médio de anos de escolaridade para meninos e meninas em diferentes países da África (2010).

Diferença de gênero nos anos escolares na África

Além de reduzir a desigualdade de gênero, acabar com essa diferença de gênero na escolaridade pode beneficiar o meio ambiente ao reduzir o crescimento populacional.

Meninas com acesso à educação se tornam, normalmente, mulheres que têm menos filhos:

Conquista educacional das mulheres versus fertilidade

Mas, por quê?


As mulheres com acesso à educação têm melhores perspectivas profissionais e, frequentemente, escolhem usar métodos de planejamento familiar para adiar a maternidade, o que permite que elas sigam suas carreiras.

Além disso, com um nível de escolaridade mais elevado, as mulheres fazem melhores escolhas de saúde para elas e seus filhos, como optar por deixar intervalos mais longos entre os nascimentos. Isso leva a menores taxas de mortalidade infantil. À medida que as taxas diminuem, as mulheres tendem a ter menos filhos, já que não esperam mais perdê-los precocemente.

O que isso significa para as mudanças climáticas?

Promover o acesso à educação para as mulheres diminui o ritmo de crescimento da população de um país. Isso significa que, no futuro, sua população será menor do que seria se a taxa de crescimento populacional tivesse se mantido alta. Então, podemos supor que as emissões totais do país diminuem?

Geralmente, não é tão simples assim, já que muitas mudanças acontecem ao mesmo tempo. A educação superior é também relacionada ao crescimento econômico dos países, então é provável que, conforme a taxa de crescimento populacional decai, as emissões produzidas por uma pessoa aumentam. Isso significa que as emissões totais geradas por um país, provavelmente, crescerão também.

Todavia, basicamente, o aumento nas emissões será menor do que se o país tivesse mantido sua alta taxa de crescimento da população e ficado mais rico ao mesmo tempo.

Observe este diagrama bem simplificado:

Crescimento populacional e emissões

Ao proporcionar acesso à educação para meninas em países de renda baixa e média-baixa, haveria uma subsequente queda no crescimento populacional que poderia evitar 51,48 Gt das emissões (CO₂eq) até 2050! Isso equivale a 93% das emissões totais de gases de efeito estufa (CO₂eq) em 2018.

E fica ainda melhor: a escolarização de meninas é uma forma surpreendentemente barata e muito eficaz de lutar contra as mudanças climáticas!

Como você acha que isso se compara às outras oportunidades de reduzir as emissões de carvão? Escolha qual das seguintes alternativas você acha que seria mais cara do que a educação para as meninas:


Conforme o gráfico abaixo, a escolarização das meninas é mais barata do que as estratégias de redução dessas emissões, com exceção da adição de isolamento térmico aos edifícios residenciais já existentes.

Adicionar esse isolamento a casas já construídas gera economia, pois ele diminui o valor gasto com as contas de energia em países frios.

Quanto custam as estratégias de redução de emissões?

Educação para a sustentabilidade

Outra forma que a educação pode ajudar a frear as mudanças climáticas é ao aumentar a conscientização e encorajar escolhas conscientes e sustentáveis. Vamos observar um exemplo da Europa:

Qual das seguintes ações pessoais você considera mais eficaz na redução das emissões de CO₂ de um cidadão europeu?


Foi assim que uma amostra de 1500 alemães responderam a essa pergunta, em paralelo com as verdadeiras reduções de emissão de CO₂ de cada ação. Como você respondeu?

O que as pessoas pensam ser efetivo versus o que realmente é efetivo

Se as pessoas tivessem ciência desses fatos, elas saberiam qual é a melhor forma para diminuir suas próprias emissões.

Por último, países que pouco sabem sobre as mudanças climáticas são menos favoráveis a adotar normas para resolvê-las.

Isso porque as medidas a longo prazo que são necessárias para frear as mudanças climáticas possuem desvantagens a curto prazo, como o fato de serem caras. Os políticos temem que essas desvantagens de curto prazo façam com que eles percam seus eleitores e, por esse motivo, as leis climáticas são menos propensas a serem aprovadas antes das eleições.

Não podemos afirmar que um melhor entendimento público sobre as mudanças climáticas vá encorajar normas mais rígidas. Existem, contudo, evidências de que a educação fortalece a democracia e é possível que a educação sobre as mudanças climáticas possa ajudar os eleitores a verem a importância de políticas fortes, fazendo com que votem em candidatos que vão implementá-las.

Votando a favor do clima

Conclusão

Melhorar o acesso à educação de alta qualidade beneficia a sociedade ao melhorar a igualdade de gênero e diminuir a pobreza a longo prazo. Isso poderia ajudar também a frear as mudanças climáticas ao empoderar as pessoas a fazerem decisões conscientes todos os dias.

Próximo Capítulo