O desperdício de alimentos: Nós precisamos parar de desperdiçar 30% da nossa comida

11 minutos de leitura

Atualizado em: 14 Dec 2020

No mundo todo, 30% dos alimentos são perdidos ou desperdiçados , atingindo uma média de 614 kcal por pessoa, por dia ! Isso é praticamente o mesmo que 10 ovos médios ou 21 cenouras grandes todos os dias!

Image of A perda e o desperdício global de alimentos

A perda e o desperdício global de alimentos

Essas perdas ocorrem em todos os estágios da cadeia de abastecimento de alimentos, desde a fazenda até o seu prato. Contudo, as causas para essas perdas variam nos diferentes estágios . Dessa forma, é conveniente que esses estágios sejam considerados separadamente, fazendo uma distinção entre a perda e o desperdício de alimentos.

Qual é a diferença entre a perda e o desperdício de alimentos?

A perda de alimentos ocorre na fazenda, no armazenamento e no deslocamento, incluindo alimentos danificados durante o processamento, empacotamento e transporte .

O desperdício de alimentos, por sua vez, acontece nos estágios de venda e consumo . Alimentos são desperdiçados quando são jogados fora por terem alcançado a data de validade ou por serem considerados “feios” pelos consumidores. O desperdício de alimentos é, ainda, causado pelo mau armazenamento em casa e pela compra ou pelo pedido de mais do que se pode consumir .

Image of A perda <em>versus</em> o desperdício de alimentos

A perda versus o desperdício de alimentos

Por que a perda e o desperdício de alimentos são ruins?

Quando o alimento é perdido ou desperdiçado, todos os recursos utilizados para a sua produção também o são! No mundo todo, a perda e o desperdício de alimentos resultam em:

  • 1,4 bilhão de hectares de terra sendo desperdiçados para produzir alimentos que não são consumidos – isso equivale a uma área maior que o Canadá e a Índia juntos !
  • Cerca de 250 km³ de água sendo desperdiçados por ano – quase treze vezes o volume útil do reservatório da Usina Hidrelétrica de Itaipu !

A perda e o desperdício de alimentos também consomem muita energia , resultando em emissões significativas de gases de efeito estufa. Além disso, o apodrecimento de alimentos contribui diretamente para essas emissões através da liberação de metano .

No mundo todo, entre 2010 e 2016, a perda e o desperdício de alimentos contabilizou de 8 a 10% das emissões globais de gases de efeito estufa provenientes de atividades humanas . Apenas nos Estados Unidos, a produção de alimentos que são perdidos ou desperdiçados libera a mesma quantidade de gases de efeito estufa que 37 milhões de carros !

Esse não é apenas um problema ambiental. Todo esse desperdício também carrega um custo financeiro igual a 940 bilhões de dólares por ano ! Isso resulta em perdas econômicas ao longo da cadeia de abastecimento e aumenta o custo dos alimentos para os consumidores .

Image of O custo da perda e do desperdício de alimentos

O custo da perda e do desperdício de alimentos

O que ocasiona a perda e o desperdício de alimentos em diferentes países?

Quanto mais ricas as pessoas são, mais elas desperdiçam comida . Em países abastados, mais de 40% da perda e do desperdício de alimentos ocorre nos estágios de venda e consumo . Isso acontece, em grande parte, devido ao comportamento dos consumidores e às demandas excessivas no abastecimento de alimentos .

Nos países em desenvolvimento, a perda de alimentos acontece geralmente mais cedo, na cadeia de abastecimento , com muito menos sendo desperdiçado no nível do consumidor . Enquanto a população na Europa e na América do Norte desperdiça entre 95 e 115 kg de alimentos, por pessoa, por ano, na África Subsaariana e no sul/sudeste asiático, o desperdício é de 6 a 11 kg, por pessoa, por ano .

Image of Fontes de perda e desperdício de alimentos em diferentes regiões

Fontes de perda e desperdício de alimentos em diferentes regiões

A perda de alimentos em países em desenvolvimento é causada, principalmente, por técnicas de colheita precárias, instalações para armazenamento e refrigeração insuficientes e falta de infraestrutura para o transporte e a comercialização dos alimentos .

Como podemos reduzir a perda e o desperdício alimentar?

Apesar da necessidade de energia para processar e empacotar os alimentos, as emissões resultantes da perda e do desperdício de alimentos são muito maiores. Considerando a carne bovina como um exemplo, o empacotamento, o transporte e a venda, juntos, contribuem com apenas entre 1 e 9% das emissões totais, enquanto a perda e o desperdício de alimentos causam entre 12 e 15% .

Image of Compensação das emissões para carne bovina

Compensação das emissões para carne bovina

Nos países em desenvolvimento, investimentos em melhores técnicas de colheita, instalações para armazenamento e infraestrutura serão necessários para diminuir as perdas, assim como melhorias nas instalações de processamento e empacotamento .

O armazenamento é uma das maiores causas da perda de alimentos nesses países . Assim, aprimorar as instalações para armazenamento teria um grande impacto na redução das perdas. Por exemplo, se o acesso à refrigeração fosse igual ao das nações mais ricas, 25% da perda e do desperdício de alimentos nos países em desenvolvimento poderia ser eliminada !

Para solucionar esse problema, precisaremos desenvolver soluções de baixo custo e independentes de energia para a preservação dos alimentos. Um exemplo desse tipo de tecnologia é o Wakati, uma tenda vedada que necessita apenas de energia solar e água para criar um ambiente selado de armazenamento, que retarda o amadurecimento e previne a desidratação do alimento e o crescimento de mofo .

Na verdade, tecnologias de baixo custo e emissão para prevenir a perda e o desperdício de alimentos são, também, úteis para países mais ricos. Por exemplo, revestimentos comestíveis que previnem a perda de água do alimento e produtos que absorvem os gases de amadurecimento liberados pelas frutas e vegetais mantêm os alimentos mais frescos por mais tempo.

Há, no horizonte, mais soluções de alta tecnologia. Embalagens inteligentes estão sendo desenvolvidas, sendo capazes de monitorar os alimentos e fornecer indicações em tempo real do quão próximo o alimento está de estragar . Algumas até previnem efetivamente o crescimento de microrganismos capazes de estragar o alimento !

Mas há um limite de quão longe as inovações, sozinhas, podem nos levar. As pessoas também precisam se tornar mais conscientes do quanto suas ações aumentam o desperdício de alimentos e do que elas podem fazer para pará-lo.

Além de incentivar ações que geram menor desperdício, as pessoas precisam se informar melhor sobre o armazenamento dos alimentos e a segurança para além da data de validade, o que varia em diferentes países .

Mas não são só os consumidores que desperdiçam comida. Supermercados estabelecem padrões altos para a aparência dos alimentos, e aqueles que possuem imperfeições são frequentemente jogados fora, mesmo se estiverem absolutamente comestíveis . Aceitar alimentos “feios”, tanto na comercialização quanto no consumo, será essencial para reduzir o desperdício desnecessário de alimentos.

Image of Coma alimentos feios!

Coma alimentos feios!

Restaurantes, lojas e fornecedores também podem reduzir o desperdício de alimentos ao vendê-los em porções apropriadas e ao doar produtos não consumidos para aqueles que não podem comprá-los .

E quanto às partes de alimentos que não podemos consumir? Restos de alimentos podem ser diretamente dados para os animais ou para insetos (como as larvas das moscas soldado negra) que podem, por sua vez, servir como alimento animal . Mas esses restos de comida podem, ainda, ser utilizados por humanos. Por exemplo, resíduos de alimentos podem ser transformados em embalagens biodegradáveis e bioplásticos . Isso não reduz só o desperdício, mas também a quantidade de embalagens plásticas não biodegradáveis que são jogadas fora.

Conclusão

A perda e o desperdício de alimentos ocorrem em todos os estágios da cadeia de abastecimento e representam um desperdício enorme de recursos e emissões desnecessárias de gases de efeito estufa. Diminuí-los beneficiará tanto o meio ambiente quanto a economia mundial, melhorando a segurança global de alimentos e tornando-os mais acessíveis para comunidades mais pobres ao economizar bilhões de dólares .

Diferentes soluções serão necessárias para diferentes países, visto que as causas de perda e desperdício de alimentos variam consideravelmente com a região. Conforme o mundo fica mais rico, o desperdício de alimentos é mais propenso a se tornar um problema maior.

Portanto, é vital que as pessoas estejam cientes dos impactos do desperdício de comida e como elas podem agir para fazer a diferença.

Ainda assim, certas perdas e desperdícios de alimentos são inevitáveis, especialmente perdas que ocorrem no início da cadeia de abastecimento. O que nós poderíamos fazer para reduzi-las?

No próximo capítulo, veremos como isso pode ser alcançado ao trazer a produção de alimentos mais próximo dos consumidores.

Próximo capítulo