Ter Filhos: As mudanças climáticas são mesmo um motivo para não se ter filhos?

9 minutos de leitura

Atualizado em: 28 Jan 2021

"Eu deveria ter menos filhos para diminuir meu impacto nas mudanças climáticas?" Essa é uma questão frequentemente levantada em debates sobre como podemos reduzir nossas emissões individuais .

Tentaremos respondê-la focando, principalmente, no mundo desenvolvido. Para países em desenvolvimento, devemos buscar uma perspectiva diferente, que será coberta no nosso curso "Um Mundo Justo". Agora, vamos nos concentrar na questão!

Em média, cada pessoa na Terra é responsável por, aproximadamente, 5 toneladas de emissões de CO₂ por ano . No entanto, isso varia muito do país em que a pessoa está. Nos Estados Unidos, são emitidas 16 toneladas de CO₂ baseadas no consumo por pessoa, por ano . Na Índia, esse número foi apenas 1,84 toneladas por pessoa, por ano, em 2016 .

Image of Comparação de emissões de CO₂ entre países

Comparação de emissões de CO₂ entre países

As altas emissões produzidas por indivíduo em países desenvolvidos levaram alguns a pensar que, ao termos menos filhos, podemos reduzir nossa pegada de carbono. Será que é isso mesmo que acontece?

Ter menos filhos realmente reduz as emissões?

Você se lembra da equação climática do Curso Intensivo?

Total de emissões = P x E x C

Em que P = população, E = emissões por serviço e C = consumo de serviços por pessoa . Ao termos menos filhos, reduziríamos P, o que consequentemente diminuiria as emissões de carbono, certo?

Bom, vamos observar as previsões. O IPCC possui um conjunto de modelos que preveem as emissões de carbono baseadas nas opções políticas e na tecnologia, conhecido como o Shared Socioeconomic Pathways (SSP) . O modelo que melhor se ajusta às políticas climáticas é chamado de SSP2 .

E se usássemos as projeções do SSP2 para as emissões de carbono entre 2020 e 2100 em países ricos para determinar as emissões associadas a ter filhos? Nós concluímos que ter um filho a menos em um país rico reduziria a pegada de carbono individual em 7,8 toneladas por ano ao longo de um período de vida de 80 anos.

Image of Os impactos de diferentes ações individuais

Os impactos de diferentes ações individuais

Lembre-se de que as emissões de carbono de uma pessoa dependem das suas escolhas na vida . É possível que um indivíduo reduza as emissões ao modificar seu estilo de vida ou ao trabalhar para diminuir as emissões de outros (através de voluntariados ou trabalho). Além de reduzir seu consumo, a educação e o engajamento comunitário podem diminuir suas emissões durante a vida .

Pirâmides demográficas: A necessidade de crianças

Há benefícios em se ter filhos também! A funcionalidade da sociedade é altamente dependente de uma população saudável e trabalhadora .

Pirâmides demográficas são usadas para mostrar a distribuição de diferentes faixas etárias em uma população . Nós podemos classificar as pirâmides em, aproximadamente, 3 tipos: expansiva, em decrescimento e estacionária .

Image of Pirâmide demográfica expansiva

Pirâmide demográfica expansiva

As pirâmides demográficas “expansivas” são geralmente encontradas em países em desenvolvimento . Essas populações têm, muitas vezes, elevadas taxas de fertilidade e expectativa de vida inferior à média, então elas estão em crescimento .

Image of Pirâmide demográfica em decrescimento

Pirâmide demográfica em decrescimento

As pirâmides demográficas “em decrescimento” são mais comuns nos países desenvolvidos, cujas populações estão diminuindo e envelhecendo . Pirâmides populacionais "estacionárias", pelo contrário, descrevem populações que mantêm um tamanho e uma estrutura consistentes ao longo do tempo.

Image of Pirâmide demográfica estacionária

Pirâmide demográfica estacionária

Países desenvolvidos muitas vezes enfrentam desafios provenientes das suas populações em envelhecimento, com exemplos importantes como o Japão e a Itália, que possuem 28 e 23 por cento de sua população com idade acima de 65 anos, respectivamente .

Países com pirâmides etárias em decrescimento estão propensos a enfrentarem dificuldades devido à redução de trabalhadores e ao custo crescente de cuidado com os idosos.

Image of Pagar impostos para uma população em envelhecimento

Pagar impostos para uma população em envelhecimento

Vamos observar as pirâmides demográficas de algumas regiões desenvolvidas, particularmente UE 28, EUA e Japão :

Image of Pirâmides demográficas de diferentes países

Pirâmides demográficas de diferentes países

Como você pode ver, todos esses países desenvolvidos têm pirâmides demográficas em decrescimento e enfrentarão o envelhecimento e a diminuição da população se os índices de natalidade continuarem como estão .

No Japão, o baixo índice de natalidade causou mudanças na educação, e ter uma população crescentemente idosa forçou o governo a reconsiderar suas políticas em relação ao trabalho, à saúde e à tributação .

O que pode ser feito para lidar com o envelhecimento e a diminuição das populações?

Aumentem os índices de natalidade!

Uma estatística importante para determinar se a população diminuirá é a taxa de fecundidade total (TFT): o número de filhos que uma mulher, em média, terá em sua vida .

Para que a população permaneça constante, uma TFT de aproximadamente 2,1 é necessária. No entanto, alguns países desenvolvidos têm uma TFT de apenas 0,98 . Como esses países podem implementar políticas para aumentar esse número?

Em Singapura, as políticas forneceram incentivos financeiros e matrimoniais, assim como suporte para os pais equilibrarem o trabalho e a família .

Image of Família da Terrinha

Família da Terrinha

As políticas adotadas por outros países incluem licença maternidade/paternidade, pensão familiar e creches subsidiadas .

Mas é ético ter filhos em épocas de mudanças climáticas? Algumas pessoas em países desenvolvidos argumentam que ter filhos é antiético, pois isso aumentaria o número de pessoas contribuindo para as mudanças climáticas e exporia as gerações futuras a riscos relacionados ao clima .

As crianças são vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas, principalmente aquelas que moram em países em desenvolvimento. As mudanças climáticas podem implicar em danos físicos devido às altas temperaturas, aos desastres naturais e à menor disponibilidade de alimentos nutritivos. Pode, ainda, causar crises mentais e psicológicas, além de diminuir as oportunidades de educação para algumas crianças .

Image of A pequena Terrinha está triste

A pequena Terrinha está triste

No entanto, mudanças em políticas e no engajamento comunitário podem diminuir os riscos climáticos relacionados a ter filhos . Educar crianças e encorajar sua participação em discussões climáticas pode ajudar a promover um desenvolvimento sustentável e reduzir as emissões individuais . Assim, enquanto ter filhos até traz alguns riscos, esses riscos podem ser amenizados através de opções de estilos de vida e da implementação de políticas.

Conclusão

Ter menos filhos pode até reduzir suas emissões de carbono, mas a sociedade enfrentará problemas consideráveis se as populações continuarem a envelhecer e diminuir no mundo desenvolvido .

Com mudanças nas políticas e inovações, o impacto de cada pessoa no meio ambiente será menor no futuro do que é agora . Nós precisamos defender as políticas que podem diminuir nossas emissões e optar por estilos de vida mais sustentáveis.

Se você escolher ter filhos, capacite-os para discutir e trabalhar em soluções para as mudanças climáticas. Juntos, vocês podem construir um futuro mais otimista para todos !

Image of Terrinha e seu filho plantando juntos

Terrinha e seu filho plantando juntos

Próximo capítulo