Trabalhando em conjunto: Por que é difícil e como podemos fazer isso

20 minute read

Atualizado em

No passado, a política global estava focada nas relações internacionais, ou seja, nas relações entre diferentes países. Isso mudou ao longo do tempo e, agora, muitos agentes distintos estão envolvidos.

Quais outros grupos poderiam desempenhar um papel fundamental na política climática?


Neste capítulo, aprenderemos sobre como todos esses diferentes agentes se relacionam e contribuem para a política climática global.

A política global mudou recentemente

Como os países influenciam a política climática global?

O que cada país pode fazer sobre as mudanças climáticas a nível internacional?


A nível mundial, uma maneira de os países criarem políticas e leis internacionais é através de tratados (acordos escritos celebrados entre países que são regidos pelo direito internacional). Em alguns casos, os países podem processar uns aos outros (ou iniciar procedimentos de conformidade) se eles não obedecerem a essas leis.

As nações também podem criar leis e políticas aplicáveis em seus países — mas essas medidas internas também podem ter impactos internacionais. Por exemplo, as empresas chinesas que exportam (enviam produtos ou serviços) para países de alto rendimento apresentam um melhor desempenho ambiental devido à demanda desses países por produtos ecologicamente corretos.

Como aprendemos no último capítulo deste curso, os países enfrentam várias restrições na capacidade de resolver as alterações climáticas utilizando a política. No entanto, eles não são os únicos agentes importantes na resolução das alterações climáticas!

Como os agentes não estatais contribuem para a política climática global?

Organizações internacionais

Organizações Internacionais

Organizações internacionais são instituições formadas por membros de mais de um país e governadas pelo direito internacional (regras que regem as relações entre países). Exemplos disso são as Nações Unidas, a Organização Mundial da Saúde e a Organização Mundial do Comércio.

No contexto das mudanças climáticas, um exemplo interessante de uma organização internacional que faz a diferença é a Aliança dos Pequenos Estados Insulares (Alliance of Small Island States — AOSIS), um grupo de pequenas ilhas remotas e países costeiros de baixa renda. A AOSIS ajuda seus membros a trabalharem em conjunto, reunindo recursos e ampliando a sua voz coletivamente nas negociações sobre o clima.

Quantos países-membros a AOSIS tem?


A AOSIS foi um dos primeiros grupos a destacar os perigos decorrentes das emissões de gases de efeito estufa para a comunidade internacional e a destacar a ameaça do aumento dos níveis do mar. Desde 2008, a AOSIS vem apelando a um objetivo global de limitar o aquecimento em 1,5 °C. Fruto de um compromisso internacional duramente batalhado, o Acordo de Paris de 2015, que é um tratado fundamental sobre as alterações climáticas, traz um objetivo de temperatura a longo prazo de "bem menos" do que 2 °C acima dos níveis pré-industriais, enquanto "se esforça" a limitar o valor a 1,5 °C.

Campanha da AOSIS por 1,5 °C

Organizações não governamentais (ONGs)

As ONGs desempenham um papel importante no movimento global pelo clima.

Que tipo de influência você acha que as ONGs podem ter? Selecione todas as alternativas corretas.


Embora as ONGs normalmente não tenham um poder de decisão formal nas negociações internacionais, isso não as impede de serem capazes de influenciar as negociações internacionais sobre as mudanças climáticas. As ONGs podem exercer certa influência por meio do uso da informação para persuadir ou coagir outrem (por exemplo, ONGs podem denunciar publicamente para influenciar os outros). As ONGs também se envolvem em protestos, comícios e manifestações, tanto dentro como fora das salas de negociação!

Diferentes contribuições das ONGs para a política climática global

À vezes, as ONGs trabalham em conjunto para atingir seus objetivos. Por exemplo, a Climate Action Network International (Rede Internacional de Ação Climática — CAN) é uma rede mundial de mais de 1 500 ONGs presentes em mais de 130 países que trabalha para gerar ações governamentais de combate a crise climática. Seus membros coordenam e trocam informações sobre políticas e questões climáticas internacionais, regionais e nacionais. A CAN também está envolvida em negociações internacionais sobre o clima.

O setor privado

O setor privado é a parte da economia que abrange empresas com fins lucrativos que não pertencem ou são operadas pelo governo. Esse setor tem influências positivas e negativas na resolução das alterações climáticas.

Uma das indústrias do setor privado com grande influência sobre as mudanças climáticas é a do petróleo. As empresas petrolíferas contribuem para as emissões de gases de efeito estufa em grande escala, tanto provenientes da fabricação de seus produtos quanto dos próprios produtos. Essas empresas também possuem muito dinheiro para gastar em lobby político, com o objetivo de pressionar a aprovação de certas leis que favorecem a indústria de combustíveis fósseis.

Nos 3 anos após o Acordo de Paris de 2015, quanto você acha que as principais companhias petrolíferas (ExxonMobil, Shell, Chevron, BP e Total) investiram em uma falsa imagem de marca em relação às questões climáticas e em lobbies?


Uma maneira que as empresas petrolíferas têm de exercer influência é por meio da publicidade. Por exemplo, nas quatro semanas que antecederam as eleições dos EUA em 2018, a ExxonMobil liderou as principais companhias petrolíferas e seus agentes no gasto de US$ 2 milhões em anúncios do Facebook e do Instagram com alvos específicos, promovendo os benefícios do aumento da produção de combustíveis fósseis, além de se opor a várias iniciativas-chave relacionadas ao clima.

As empresas petrolíferas não estão gastando o suficiente em energia limpa

Para reduzir os impactos nocivos do lobby, precisamos de regras para gerenciar as contribuições de empresas privadas para as campanhas e gastos políticos. Além disso, as leis que exigem a divulgação das contribuições das corporações para essas campanhas devem ser reforçadas.

Mas o setor privado não traz apenas más notícias! Na verdade, esse setor também pode ter um impacto positivo nas mudanças climáticas.

Por exemplo, a Ação Climática 100+ foi destacada como uma das doze iniciativas globais fundamentais para lidar com as alterações climáticas.. Liderado por investidores, esse é um projeto que visa garantir que os maiores emissores de gases de efeito estufa no setor privado tomem medidas para colocar a sociedade em um caminho alinhado com o Acordo de Paris de 2015.

Até agora, mais de 500 investidores se inscreveram na iniciativa. Quanto você acha que seus patrimônios valem?


Juntamente com esses investidores, muitas empresas assumiram novos compromissos climáticos após o engajamento promovido pela Ação Climática 100+.

Qual é o papel dos governos subnacionais na política climática global?

Os governos subnacionais são aqueles que operam em uma escala mais local, incluindo os governos municipais, regionais e provinciais.

While subnational governments do not negotiate treaties in the same way as whole countries, they are critical in helping to shape international climate action: they help to deliver policies on the ground; and they have the experience, expertise, and influence to support the development of progressive policies in their region. Local governments can be more nimble when national governments fail to intervene and they can act as testers for experimental policies.

A Importância dos Governos Subnacionais

Vamos analisar um exemplo.

Em 1992, a Cidade do México, foi considerada a cidade mais poluída do mundo pela ONU. Mas hoje, a mesma emergiu como líder ambiental entre as cidades de países de média e baixa renda.

Quais das seguintes medidas foram implementadas na Cidade do México para alcançar essa transformação?


Além do mais, foi introduzido um programa de compartilhamento de bicicletas, que foi replicado por outras cidades da América Latina. Isso mostra como as ações de uma cidade podem ter influência internacional!

As mudanças que estão ocorrendo na Cidade do México para reduzir as emissões

Essas medidas levaram a Cidade do México a reduzir suas emissões de carbono em 7,7 milhões de toneladas em 4 anos (2008 a 2012). No futuro, a cidade planeja plantar 20 milhões de árvores, introduzir corredores de emissão zero para metrôs, construir um novo sistema de transporte de energia limpa e expandir o uso de energia solar em hospitais e edifícios públicos.

Os indivíduos podem influenciar a política climática global?

Os indivíduos também se envolvem na política climática global — e não nos referimos apenas a políticos!

Qual das seguintes pessoas é conhecida especificamente por seu ativismo ambiental?


Embora todos os indivíduos mencionados acima tenham tido um papel importante no ativismo, foi Autumn Peltier que focou no meio ambiente. Muitos ativistas podem ser bem jovens: por exemplo, Autumn nasceu em 2004, mas já causou um grande impacto!

Autumn é indígena, defensora da água potável e ativista pelo clima. Ela pertence ao povo Anishinaabe, que vem da Primeira Nação de Wiikwemkoong, na Ilha de Manitoulin, Canadá. Em 2016, quando tinha apenas 12 anos, Autumn criticou Justin Trudeau, o primeiro-ministro do Canadá, pelas suas políticas sobre a água potável. A nível nacional, isso ajudou a incentivar mudanças — desde 2015, o governo canadense tem trabalhado para limpar as águas contaminadas para as comunidades de Primeiras Nações do Canadá. No entanto, ainda há muito a ser feito, uma vez que algumas pessoas continuam impossibilitadas de beber água com segurança sem fervê-la antes.

Autumn Peltier discursando em eventos internacionais

Os indivíduos nem sempre atuam sozinhos. Muitas vezes, eles trabalham em conjunto!

Por exemplo, as pessoas se reuniram para formar movimentos de protesto, como o Fridays for Future (FFF). O FFF é um movimento de juventude internacional inspirado por Greta Thunberg, outra jovem ativista climática. Ele tem 3 demandas principais:

  • Manter o aumento da temperatura global abaixo de 1,5 °C comparado aos níveis pré-industriais;
  • Garantir a justiça climática e a equidade — aprenderemos o que isso significa no último capítulo deste curso!
  • Confiar na melhor ciência atualmente disponível

Um método chave utilizado pelo Fridays for Future são as greves escolares, nas quais as crianças faltam às aulas para protestar contra a inação às mudanças climáticas. O FFF tem sido apoiado por cientistas de todo o mundo e atraiu uma atenção considerável da mídia.

Esse tipo de iniciativa tem um impacto na opinião pública: dados sugerem que os movimentos globais de desobediência civil (recusa a obedecer às regras e demandas do governo de maneira não violenta) focados nas alterações climáticas, incluindo o Fridays for Future e a Extinction Rebellion, juntamente com relatórios científicos tradicionais, podem ser importantes para aumentar a sensibilização do público e o envolvimento com as mudanças climáticas.

Como a opinião pública pode influenciar a política global? Bem, a maioria dos especialistas concorda que ela influencia a política pública. Além disso, é provável que opiniões mais fortes tenham uma influência ainda maior sobre as políticas!

Indivíduos protestando por mais ação climática

Conclusão

Com este capítulo, podemos ver que, embora seja importante que os países tomem medidas para reduzir as suas emissões, muitos outros agentes são igualmente críticos para ajudar a resolver as mudanças climáticas através da política climática global. É realmente um esforço em equipe!

A política climática global é um esforço de equipe!
Próximo Capítulo